quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Desabafando nas palavras

Ando por aqui, sem rota, sem rumo
nos mares do meu coração,
pois sem ti quase me sumo
navegando na minha solidão.


Uma rajada de ventou passou
e deixo-te perto de mim
Agora o momento chegou
e quero-te até ao fim.


Sei que posso dividir a vida
em três momentos distintos
mas a que me é mais querida
é aquela em que encontro mais labirintos.


Adormeço a pensar em ti,
acordo com o mesmo pensamento.
Es o poema que não li
és a luz no fimamento.

És perola de magia,
meu sorriso ao amanhecer,
aquela que me dá alegria
a que nunca vou esquecer.


Sérgio Ficher




 









6 comentários:

  1. depois do blogue , o livro. XD. ta mt fashion.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo poema! Está muito bonito...

    ResponderEliminar
  3. atao e o livro? ainda hj passei pela livraria e ainda lá nao se encontrava -.- !?

    ResponderEliminar
  4. Livro???? Mas não há livro nenhum...

    (risos)

    Adorava que no futuro houvesse, mas por enquanto não!

    Haja saúde,

    Sérgio Ficher

    ResponderEliminar